#Review: Koe No Katachi – A Voz do Silêncio

Título: Koe no Katachi (A Silent Voice, The Shape Of Voice)
Ano: 2016
Estúdio: Kyoto Animation
Duração: 2h:10min
Genero: Drama/Escolar/Romance

Koe no Katachi é a adaptação cinematográfica do manga homônimo, produzido pela Kyoto Animation, chama atenção por tratar com realismo um tema pesado, que raras vezes é abordado pelas obras nipônicas, o bullying.

dois
Nishimiya – Ishida

A primeira parte do drama conta a historia de Nishimiya Shouko e Shouya Ishida. Nishimiya é surda e acaba de se mudar para uma nova escola (fundamental), a historia narra a partir daí as dificuldades que Shouko enfrenta sendo uma deficiente auditiva, a vontade dela de se enturmar e fazer tudo que os outros alunos da sala fazem. Do outro lado temos Ishida, um verdadeiro valentão, que aproveita toda e qualquer chance de zombar da garota.

A segunda parte é o que acontece com os dois, mais especificamente o Ishida, em sua vida colegial, anos depois do fundamental. Ishida arrependido, depois de encontrar a garota, tenta se reconciliar com ela e pedir desculpas pelo passado.

Obviamente há bem mais pedras e curvas nesse caminho entre fundamental e colegial, como o fato de Nishimiya ter saído da escola por conta do Bullying.

consequencias final
Ishida

O primeiro ato mostra, mesmo que de forma subliminar, principalmente o despreparo da escola em instruir os seus alunos, em ensinar empatia, a solidariedade. O humano teme aquilo que não conhece, os “colegas” de classe da Nishimiya não sabem como tratar ela, em determinado momento ela é tratada como um incomodo.

Um ponto interessante a ser tratado é o foco narrativo, geralmente esse tipo de historia pega diretamente a visão da vitima, aqui a visão é a do valentão. Essa transição de praticar o bullying sem remorco e se arrepender, sofrendo as consequências dos atos passados, é muito claro ao expectador, não sobra dúvidas de como ele era e como as consequências de seus atos modificaram completamente sua vida.

Mesmo que a Kyoto Animation tenha feito um ótimo papel compactando a história do manga, o filme deixa aquela impressão que, apesar de fundamentais, o restante dos personagens estão lá apenas para cumprir um papel momentâneo, faltando um aprofundamento, que em alguns casos tornaria a historia mas rica e reforçaria a mensagem geral.

O design mantem o padrão de qualidade Kyoto Animation, aqui eles não usaram nenhuma cor berrante, tanto os desfoques quanto os jogos de luz contribuem de forma perfeita para todo o clima necessário que é preciso para essa historia.

jogo de luz
desfoque e luz são o ponto forte da animação

A parte sonora, contem um ótimo insert song que dá todo o clima de rebeldia do jovem Ishida, mas fora isso ele é contido, modesto, e com o perdão do trocadilho, silencioso.

É difícil não comparar o filme com sua obra original, o mangá, apesar da compactação da historia ter sido muito bem feita e de fato conseguir transmitir a mensagem, o manga tem um peso maior, ele dá um entendimento mais completo sobre o assunto, como por exemplo deixar mais claro que o bullying e/ou a culpa dele não era especificamente das crianças, mostra como essa dificuldade de entender as diferenças de cada um está inserida em um ramo mais profundo, além de a historia ganhar mais vida com o desenvolvimento completo dos personagens.

Sou da opinião que filmes vendem livros/mangas e não o contrario então fica a dica, aproveitando que o manga foi lançado no Brasil, de quem se interessar conhecer a historia original, sendo um ótimo complemento para quem já assistiu o filme.

Koe no Katachi é uma historia que merece ser vista, é uma mensagem diferente, que não foca apenas no bullying e suas consequências, mas no crescimento emocional de dois adolescentes que enfrentaram problemas.

Shin

Publicitário e Otaku que tenta de tudo para espalhar a Cultura pop Japonesa pelo Brasil. Twitter Facebook

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *